Páginas

segunda-feira, 9 de maio de 2016

5 MOTIVOS PARA QUERER VIAJAR - BUDAPESTE

Depois de um tempão sem postarmos aqui, resolvemos voltar (uhuuul). A vida tava uma correria, então poder pesquisar, montar posts e postar tava bem complicado. Mas a gente tava sentindo muita falta, porque uma das coisas que mais amamos é pesquisar e escrever sobre os mais variados lugares do mundo. Então cá estamos, de volta e operantes!

E pra recomeçar, vamos falar sobre a lindíssima cidade chamada Budapeste. Essa é a capital da Hungria, um pequeno país localizado na Europa Central. Também é a principal cidade do país, e a mais populosa. A cidade em si só foi unificada em 1873, e vem da fusão de duas cidades: a Buda, que fica do lado direito do rio Danúbio; e a Peste, do lado esquerdo do rio. A belíssima cidade é um dos principais destinos turísticos da Europa, principalmente pros mochileiros de plantão, que sempre a colocam em seus roteiros. Então vamos aos 5 motivos que talvez ajudem você a entender porque essa cidade é tão famosa assim. Quem sabe ela não entra no seu próximo roteiro de viagem também...

1 – É UM PAÍS RELATIVAMENTE BARATO


Ok, vamos aos fatos. A Hungria fica na Europa, então claramente não é o país mais barato do mundo. Mas comparativamente a outros países de lá, é um mar de felicidade. Isso se deve ao fato de que a moeda utilizada lá AINDA não é o euro, e sim o Forint. Numa pesquisa rápida aqui com o câmbio do dia que esse post foi feito (06/05/2016), 1 R$ = 77,52 HUF e 1 euro = 313,36 HUF. Impressionante, né?! Claro, não se animem tanto. Não entendemos muito de economia, conversão e tudo mais, mas quando há essa disparidade de valores as coisas nos países tendem a ser mais inflacionadas. Mas ainda assim, no final, Budapeste acaba saindo bem mais barata que as outras capitais europeias, o que te dá a oportunidade de gastar um pouquinho mais, e dar uma leve abusada no orçamento. Pra vocês terem uma ideia, a uns dois anos atrás nós fizemos uma planilha com gastos médios para um mochilão na Europa. Pra Budapeste, chegamos a encontrar hospedagem em hostel com diárias de até R$ 18,94!!!! E isso no Centro da cidade!!! Pra vocês compararem, a diária em um hostel em Amsterdam que escolhemos nos custaria a bagatela de R$ 100,38 (Só dei um google aqui agora no hostel de Budapeste, que é até bonzinho; então não sei dizer se o de Amsterdam era infinitamente melhor ou não). Claro que esses valores estão desatualizados (a planilha deve ter sido feita a uns dois anos atrás), e o real ainda era bem mais valorizado. Mas mesmo assim, essas diferenças enormes de valores entre outras cidades e Budapeste continua existindo. Então faça suas malas correndo e voe para Budapeste pra aproveitar esse fator extremamente importante (o econômico). Até porque corre a boca miúda que a Hungria planeja adotar o euro como moeda oficial, e ai já viu né?!



2 – A CIDADE É, NA VERDADE, DUAS CIDADES!


Isso é incrível de se pensar! Você chega esperando conhecer uma cidade e acaba conhecendo duas cidades distintas, separadas apenas por um rio. E são literalmente distintas, já que é possível se identificar bem de que lado da cidade você está. Só por isso já dá pra imaginar que história fantástica essa cidade tem, né?! Então vamos a um pouquinho da história: A região onde hoje Budapeste está localizada começou a ser povoada por causa de um assentamento celta chamado Aquinco, que se instalou por lá por volta do ano 1 a.C.; depois foi invadida pelos romanos e Aquinco se tornou a capital da província romana na região. Aquinco ficava no lado do rio Danúbio onde hoje está localizada Buda. Na outra margem do rio, começou a surgir a outra povoação, que mais tarde seria onde hoje está Peste. Somente muito tempo depois os Húngaros chegaram à região (por volta de 900 d.C.) . Na região de Buda, os húngaros ergueram o castelo real e proclamaram Buda a capital da Hungria. Depois, Buda e Peste foram dominadas pelo Império Otomano, voltando a ser retomada só em 1686. Muita história depois, e com o crescimento de Peste, em 1873 Buda e Peste foram unificadas, dando origem a cidade una de Budapeste, hoje capital da Hungria. A primeira ponte a ligar Buda e Peste só foi criada em 1849, a Ponte das Correntes. Achamos essa história legal porque é bem diferente da história de várias outras cidades desse velho mundo. Duas cidades separadas apenas por um rio, e ainda assim demorou-se aaaaanooos para unifica-las. Se você quiser saber a história com mais detalhes, vá ao Castelo Real de Buda.

Buda, Peste, e a Ponte das Correntes

3 - VERÃO E ÁGUAS TERMAIS


A gente sabe que muita gente sonha em ir pra Europa no inverno pra poder curtir aquele frio que, com exceção da galera do sul ou dos lugares de serra, nós não estamos acostumados a sentir. Mas a Europa pode valer muito a pena no verão também. Com toda essa cultura de parques e espaços abertos, tente imaginar o quanto é lindo o verão por lá. E com Budapeste não seria diferente. A cidade é completamente rodeada por jardins e parques, com flores dos mais diversos tipos. E ainda existem fontes espalhadas nas praças, onde é possível até se divertir na água e usá-la pra se refrescar!! Imagina que legal..

Fontes

Jardins


Agora, se tem uma coisa que Budapeste é famosa, é por suas águas termais. Desde a época do Império Turco, essa cultura dos “banhos” em piscinas públicas é muito difundida e aceita por lá. Por isso mesmo Budapeste tem hoje o maior sistema de águas termais do mundo. São diversas piscinas com águas dos mais diversos tipos, que além de relaxantes, ainda prometem ser terapêuticas. Sais minerais, hidromassagem, as mais variadas temperaturas, tudo faz com que essas águas façam sucesso com os habitantes locais e turistas de todos os lugares do mundo. Além disso, muitos desses clubes com piscinas públicas ainda oferecem sistemas de SPAs e saunas (Europa e suas saunas). As piscinas de águas termais mais famosas ficam na Terma Szechenyi, que fica dentro do Parque da Cidade. Dá pra ir e passar um dia todo lá pra poder curtir tudo o que a Terma tem a oferecer. Então, se resolverem colocar Budapeste no roteiro de vocês, não se esqueçam de colocar a roupa de banho na mala e sejam felizes tirando um dia pra cuidados próprios nessas águas que tanto prometem.



4 – MONUMENTOS INCRÍVEIS


Como já contamos um pouquinho da história de Budapeste, vocês já devem ter parado pra pensar uma coisa: com tanto tempo de história, tantas reviravoltas, tantas culturas diferentes dominando por alguns tempos, imagina o quanto isso não deve ter influenciado nos monumentos, ruas, arquiteturas, cultura, museus e tudo mais da cidade.



Parlamento


Não vai dar pra gente citar tudo que tem pra ver e fazer lá, mas vamos dar algumas dicas de lugares que, pelas nossas pesquisas, achamos sensacionais! Então vamos lá: o Parlamento (com estilo neogótico , é o maior e mais famoso edifício de Budapeste, e é o segundo maior Parlamento do mundo!), o Castelo Real (também chamado de Castelo de Buda – fica no alto da Colina do Castelo, de onde se tem uma vista lindíssima de Peste do outro lado do rio. Foi morada de vários reis Húngaros e hoje abriga vários museus e a Biblioteca Nacional), Bastião dos Pescadores (outro lugar que serve como mirante e que é bem famoso por isso), Ponte das Correntes (primeira ponte que ligou Buda e Peste, é a mais importante da cidade. Foi bombardeada na 2ª Guerra Mundial e depois foi reconstruída), Museu do Terror (foi sede do partido fascista, quando a Hungria era aliada da Alemanha, e depois foi sede do governo soviético, durante o período comunista do país. Em ambos os tempos, foi palco de muitos horrores que são retratados no museu, contando a história de um importante período da humanidade), Praça dos Heróis (com vários monumentos nela), Parque da cidade (dentro dele ficam diversos pontos turísticos da cidade), e vários outros locais. Sério, não dá pra colocar tudo em um post só. Só pra poder escrever esse post tivemos que abrir umas 20 abas com sites diferentes, cada um dando uma infinidade de listas de lugares pra ir lá. Enfim, faça um roteiro bem definido porque com tantas coisas pra ver, corre o risco de você acabar deixando de lado alguma coisa que gostaria muito de ver (o que pode não ser alguma coisa tão ruim.. uma desculpa pra voltar depois)


Museu do Terror

5 – VIDA NOTURNA


Uma das coisas mais famosas de Budapeste é a vida noturna. Isso porque diferente de muitas outras cidades da Europa, o negócio lá não tem hora pra acabar. São bares, pubs, baladinhas e tudo mais, que acontecem de segunda a segunda. É uma verdadeira cidade que não para. São muitas opções, muito do mesmo (aqueles que você encontra em qualquer lugar do mundo), e muito do diferente também. Existem uns pubs que levam o nome de “ruin pubs”. São pubs que fazem misturas de ambientes, de novo e velho, moderno e antigo, ruína e futurismo, criando assim um ambiente totalmente psicodélico. Muito bacana né?!




O mais famoso e badalado é o Szimpla Kert. É gigante, a decoração é um item a parte, e eles ainda vedem cenouras (sim, cenouras!!!! Hahaha). Muita gente faz de lá um esquenta pra baladas, mas só lá já faz bem o papel de “saída noturna” (ou talvez sejamos nós que estamos ficando velhas). Fato é que não deixem de dar pelo menos uma passada pelo local antes de ir embora. Existem muitos outros lugares bem recomendados, como a Hello Baby Bar, Ötkert, A38, Ankert, e assim por diante. Nossa dica é a mesma de sempre: pergunte a habitantes locais quais são as indicações deles. Ninguém melhor que eles pra saber o que há de melhor e mais diferente na cidade. Mas não deixem de curtir a badalada Budapeste.


A38



Fazendo esse post, ficamos ainda mais encantadas com a cidade. Sempre soubemos que era lindíssima e cheia de badalações, mas poder pesquisar, conhecer a história e ver fotos incríveis nos fizeram querer ainda mais poder um dia ir pra lá. Esperamos que o post tenha o mesmo efeito sobre vocês, e que coloquem Budapeste nos planos de viagem. Ela, que já estava em nossos planos, agora tem lugar cativo!